Blog home/Fires/Duas décadas de perdas causadas por incêndios, em detalhes sem precedentes
Search the GFW Blog
Tree cover loss due to fires visualized on the GFW map, 2001-2021

Tree cover loss due to fires visualized on the GFW map, 2001-2021

Subscribe to the
GFW newsletter

Duas décadas de perdas causadas por incêndios, em detalhes sem precedentes

Subscribe to the
GFW newsletter

Novos dados da Universidade de Maryland (UMD), disponíveis agora no Global Forest Watch (GFW), fornecem uma visão mais detalhada de como os incêndios estão causando a perda de cobertura arbórea em todo o mundo. Os novos dados de perda de cobertura arbórea por incêndios oferecem uma visão de resolução mais alta do que nunca sobre as tendências de perdas causadas por incêndios nas últimas duas décadas. Confira abaixo o que os novos dados medem, como podemos usá-los e como eles diferem dos dados existentes relacionados a incêndios no GFW.  

Novas percepções sobre tendências de perda de cobertura arbórea causada por incêndios

Os novos dados de perda de cobertura arbórea por incêndios se baseiam nos dados de perda de cobertura arbórea anuais existentes da UMD, fornecendo contexto adicional sobre onde os incêndios estão causando a perda. Cada pixel de 30 metros nos dados anuais de perda de cobertura arbórea é analisado usando imagens do satélite Landsat para determinar se a perda foi provavelmente devido a substituição de estandes florestais por incêndios (fogo que mata todas ou a maioria das árvores vivas). Esses dados permitem que a perda causada por incêndios seja separada de todos os outros fatores de perda de cobertura florestal, como agricultura e silvicultura. Usando esses dados, padrões detalhados de perda de cobertura arbórea devido a incêndios podem ser avaliados ao longo de um período de 21 anos usando pela primeira vez uma definição globalmente consistente de perda florestal causada por incêndios. 

Nesses dados, a perda devido a incêndios é definida como incêndios naturais ou causados pelo homem e que resultam na perda direta da cobertura da copa das árvores. Isso pode incluir incêndios florestais e incêndios intencionais (incluindo fogo iniciado por humanos para objetivos relacionados à agricultura, caça, recreação que escapam para áreas florestais ou incêndios criminosos). As instâncias em que as árvores são derrubadas e posteriormente queimadas não são incluídas, pois o fator inicial de perda nesse caso é a remoção mecânica. Incêndios florestais de baixa intensidade e ao nível do solo que não resultam em perda substancial de vegetação rasteira na escala de um pixel de 30m também são excluídos desta definição. 

No futuro, esses dados serão atualizados anualmente e nos permitirão entender melhor as tendências globais, regionais e locais na perda de cobertura arbórea à medida que evoluem ao longo do tempo.  

Perda da cobertura arbórea devido a incêndios, 2001 a 2021

Tree cover loss due to fires 2001-2021

Como podemos usar os novos dados de perda de cobertura arbórea por incêndios?

Identificando áreas com maior perda de cobertura arbórea devido a incêndios

Os usuários podem usar esses dados para visualizar e analisar a distribuição espacial de perdas devido a incêndios ao longo do tempo no Global Forest Watch. Por exemplo, o painel global pode ajudar os usuários a identificar os países com maior perda de cobertura arbórea devido a incêndios no ano anterior.    

Analisando a lista, Rússia, Canadá e EUA claramente tiveram a maior perda de cobertura arbórea devido a incêndios em 2021. Depois de analisar os dados transferidos por download, podemos ver que esses três países juntos perderam 7,8 milhões de hectares ou 84% de todas as perdas relacionadas a incêndios em 2021. 

Podemos então ver como a atividade do incêndio mudou ao longo do tempo para essas áreas. Por exemplo, em 2021, a Rússia apresentou a maior área de perda de cobertura arbórea que o país viu em 21 anos, 82% devido a incêndios. 

Os usuários também podem usar o mapa do GFW para visualizar quando e onde esses incêndios ocorreram e selecionar anos específicos para aprofundar os dados. Por exemplo, olhando para o mapa, fica claro que a maioria dos incêndios da Rússia em 2021 ocorreu na parte central e oriental do país. 

Separando tendências na perda de cobertura arbórea relacionadas a incêndios de outros fatores

Em alguns casos, esse conjunto de dados também pode fornecer informações sobre tendências de perda florestal que não são causadas por incêndios. Como a perda devido a incêndios tende a variar significativamente de ano para ano, dependendo do clima e de outras condições, isso pode obscurecer a tendência de longo prazo na perda de cobertura arbórea por outros fatores. 

Por exemplo, os dados anuais de perda de cobertura arbórea sobre a perda de floresta primária no Brasil mostram um grande pico em 2016 e 2017 que não é capturado pelo sistema oficial de monitoramento de desmatamento da Amazônia brasileira, o PRODES. Usando esses novos dados, podemos ver que grande parte desse pico foi devido à perda de cobertura arbórea por incêndios, que normalmente não são capturados pelo sistema PRODES. Compreender onde o incêndio leva à perda de floresta e onde não resulta em perda ajuda a fornecer mais nuances na interpretação dos dados e permite comparações mais diretas com outras fontes de dados.  

Quais são as limitações para usar esses dados?

Em um blog anterior, descrevemos as mudanças nos dados de perda de cobertura arbórea nos últimos 21 anos e recomendamos cautela ao comparar tendências antes e depois de 2015. Os novos dados sobre incêndios se baseiam nesse conjunto de dados de perda de cobertura arbórea, portanto, os mesmos cuidados se aplicam. Embora as mudanças nos dados de perda de cobertura arbórea tenham resultado em uma melhor detecção de perda de floresta nos últimos anos, incluindo uma melhor detecção de incêndios nas florestas boreais e outras regiões, também introduziu inconsistências ao longo do tempo.  

Apesar dessas inconsistências, os novos dados apresentam altos níveis de exatidão espacial e temporal em nível global. Globalmente, 90% das áreas classificadas como perda de cobertura arbórea devido a incêndios foram classificadas corretamente; os outros 10% foram falsos positivos. 

A exatidão espacial variou por região, mas permaneceu relativamente alta para a maioria das regiões. A Europa e a América do Norte tiveram os mais altos níveis de exatidão, com taxas de falsos positivos de 7% e 4%, respectivamente. A África teve a menor exatidão e o maior número de falsos positivos, com 39% da área considerada como perda de cobertura arbórea devido a incêndios classificados incorretamente. A alta taxa de falsos positivos na África é provável porque os incêndios florestais são relativamente raros. 

RegiãoTaxa de falso positivo
América do Norte4%
Europa7%
América Latina26%
Sudeste da Ásia27%
África39%
Global10%

Há também casos em que há atrasos na detecção da perda de cobertura arbórea devido a incêndios, onde a perda ocorre perto do final do ano, mas não há imagens de satélite claras o suficiente para detectá-la até o ano seguinte. É importante observar isto porque, às vezes, os picos que vemos nas perdas devido a incêndios podem refletir as tendências do ano anterior. No geral, 96% de todos os eventos de perda relacionados a incêndios ocorreram dentro de um ano da data de perda mapeada. 

Quais outros dados de incêndio estão no GFW e o que há de diferente nos novos dados?

Os dados de incêndio disponíveis no GFW se dividem em duas categorias: dados de atividade de incêndio e dados contextuais. Os dados de atividade de incêndio permitem que os usuários visualizem incêndios em andamento e analisem a extensão dos incêndios em áreas de interesse, como um país ou polígono definido pelo usuário. Os dados contextuais podem ser usados para suplementar os dados de atividade de incêndio e ajudar os usuários a entender quais áreas estão em risco de incêndio e os impactos dos incêndios na qualidade do ar.   

Comparação dos dados de incêndio do GFW

Atividade de incêndio

Conjunto de dados

Resolução

Fonte dos dados

Frequência de atualização

Período

Melhor uso

Perda de cobertura arbórea por Incêndios

30m

UMD/GLAD

Anual

2001-2021

Cálculo da extensão da substituição de estandes florestais por incêndios

Áreas queimadas do MODIS*

500m

NASA

Mensalmente (atraso de dois meses)

2000- até o momento

Cálculo da extensão da área queimada para todas as coberturas de terra

Alertas de incêndio do VIIRS

375m

NASA

Duas vezes por dia

2012- até o momento

Detecção de locais de incêndio quase em tempo real (dia/noite)

Alertas de incêndio do MODIS*

500m

NASA

Duas vezes por dia

2000- até o momento

Detecção de locais de incêndio quase em tempo real (dia)

Contextual

Índice Global de Clima de Incêndio

10km

NASA

GFWED

Diariamente

Até o momento

Risco de incêndio atual

Índice Global de Qualidade do Ar

n/a

Índice Mundial de Qualidade do Ar

Agência de Proteção ao Meio Ambiente (EPA) dos EUA

A cada 15 minutos

Até o momento

Efeitos do incêndio na poluição do ar

*O satélite Terra, que carrega o sensor MODIS, será desativado no próximo ano, juntamente com produtos associados, incluindo os alertas do MODIS quase em tempo real e o conjunto de dados de áreas queimadas. O VIIRS continuará sendo a principal fonte de alertas de incêndio quase em tempo real.

Dados de atividade de incêndio

Dados de perda de cobertura florestal devido a incêndios

Os dados de perda de cobertura arbórea por incêndios diferem de outros dados de atividade de incêndio na plataforma do GFW porque se concentram somente em incêndios que substituem florestas, enquanto outros conjuntos de dados de incêndios não fazem essa distinção de outros incêndios. Isso é importante porque as florestas atuam como sumidouros de carbono e contêm a maior parte do carbono terrestre do planeta, que é liberado quando queimam. 

A perda de cobertura arbórea dos dados de incêndio também rastreia incêndios em uma resolução muito mais fina do que os outros dados de atividade de incêndio; no entanto, também é atualizada com menos frequência, tornando-a menos útil para monitorar atividades de incêndio em andamento ou muito recentes. 

Outros dados de atividade de incêndio

  • Alertas quase em tempo real (MODIS e VIIRS): Os alertas de incêndio ativos do MODIS* e do VIIRS fornecem aos usuários dados quase em tempo real que são atualizados diariamente e podem ser usados para monitorar e responder a incêndios em andamento. Os alertas podem detectar vários tamanhos de incêndio, dependendo da temperatura do incêndio, hora do dia e presença de cobertura de nuvens ou neblina pesada. 
  • Extensão do incêndio ao longo do tempo (áreas queimadas do MODIS): Embora atualizados com menos frequência do que os alertas quase em tempo real (mensais em vez de diários), os dados de área queimada do MODIS* são mais adequados para avaliar as tendências na extensão do incêndio ao longo do tempo do que os alertas de incêndio porque identificam a área de terra que foi queimada.

Os usuários podem analisar a atividade de incêndios no mapa e no painel de controle do GFW e filtrar os dados para visualizar apenas os incêndios que ocorrem em florestas primárias ou outras áreas de importância para a conservação. A inscrição em uma conta myGFW também oferece aos usuários a opção de criar e analisar áreas de interesse personalizadas. Os usuários também podem manter-se atualizados sobre a atividade de incêndio em suas áreas personalizadas, inscrevendo-se para receber notificações por meio de sua conta myGFW. 

Dados contextuais

  • Risco de incêndio (Índice Global de Clima de Incêndio): pode ser usado para identificar áreas onde as condições climáticas tornam as paisagens mais vulneráveis a incêndios, permitindo que os usuários entendam o risco atual de queimadas. 
  • Impactos na saúde (Índice Global de Qualidade do Ar): mede a qualidade do ar atual de material particulado que é fortemente impactado pela fumaça e neblina dos incêndios. Com mais de 15.000 estações em todo o mundo, isso ajuda os usuários a medir o risco de efeitos à saúde relacionados à poluição do ar.  

Os novos dados de perda de cobertura arbórea por incêndios são uma adição valiosa ao conjunto existente de dados relacionados a incêndios no GFW e permitirá que todos os usuários acompanhem melhor o impacto dos incêndios nas florestas em todo o mundo para desenvolver respostas de gerenciamento mais eficazes. 


Para explorar mais dados de incêndio da GFW, acesse o mapa e o painel de controle.

Latest articles

Tree cover loss due to fires visualized on the GFW map, 2001-2021

Two Decades of Fire-Driven Loss in Unprecedented Detail

New tree cover loss from fires data offers a higher-resolution look than ever before at trends in fire-driven loss over the last 21 years.

forest_fire_CIFOR

Forest Loss Remained Stubbornly High in 2021

2021 tree cover loss data reveals that the tropics lost 11.1 million hectares of tree cover in 2021 — including 3.75 million hectares within tropical primary rainforests, equivalent to a rate of 10 football pitches a minute.

Amazon – Brazil, 2011.©Neil Palmer/CIAT

Global Forest Watch’s 2021 Data Update Explained

What does the data measure, what is different this year and how does it compare to other data sets? GFW’s 2021 data update explained.

fetching comments...